Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/09/19 às 16h15 - Atualizado em 23/09/19 às 16h16

Final do Torce movimenta o Centro Olímpico e Paralímpico de São Sebastião

Os Jogos dos Centos Olímpicos e Paralímpicos, o Torce 2019, chegaram ao fim neste domingo (22) com uma cerimônia de premiação no Centro Olímpico e Paralímpico de São Sebastião. Foram homenageados atletas, equipes e treinadores que mais se destacaram nos cinco meses de disputa com envolvimento de cerca de 5 mil esportistas, entre crianças, jovens e idosos, em 20 modalidades regulares e adaptadas. A iniciativa, uma parceria da Secretaria de Esporte e Lazer e Fundação Assis Chateaubriand, reuniu 830 pessoas.

 

“Nossos Centros Olímpicos e Paralímpicos não têm como objetivo primário formar atletas. O objetivo primário deles é formar melhores cidadãos. Esse é nosso objetivo, inclusive, com o Torce. Trazer esses atletas para o clima da competição não é para quebrar recordes. Mas para que aprendam que ganhar é importante, que perder faz parte e que todo esse processo de aprendizado vai ajudar na formação do jovem que vai ser amanhã”, destaca o secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz.

 

Representando o Centro Olímpico e Paralímpico do Setor O, Antônio Lucas, 13 anos, atuou como zagueiro na partida de futebol society contra a unidade esportiva do Parque da Vaquejada, que foi concluída nos pênaltis. Emoção para todo lado, quando marcou o gol dele. “Estou no COP do Setor desde o início e gosto bastante. O jogo foi bem intenso, mas conseguimos ser campeões. O evento, como um todo, está bem legal. Estou gostando bastante”, avaliou o adolescente.

 

Para Eduardo Gay, gerente de projetos da Fundação Assis Chateaubriand, o grande valor desta terceira edição do Torce está na oportunidade de integração dos atletas de diferentes idades, realidades, regiões e no aprendizado proporcionado com uma competição. “Este ano, o tema escolhido foi a jornada para a vitória. E a mensagem que deixamos é de que os aprendizados obtidos no caminho, no dia a dia com o esporte, são mais importantes do que o destino final, que pode ser a vitória ou derrota”, observou.