Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/21 às 18h42 - Atualizado em 11/02/21 às 10h53

Ciclistas de velocidades estão autorizados a treinarem no Autódromo de Brasília

A partir desta segunda-feira (15), os ciclistas de alto rendimento da capital federal poderão treinar em um espaço próprio, sem cobrança de taxas. Todos os dias, no Autódromo Internacional de Brasília Nelson Piquet, das 5h às 7h30, tendo a possibilidade de flexibilização do horário, os esportistas terão acesso a pista do local pela entrada 3, próxima ao depósito do Detran. A Secretaria de Esporte e Lazer atendeu a demanda após uma reunião com representantes do setor, em que foi solicitada a reabertura do espaço para a prática esportiva.

 

“Estamos sempre atentos para as reivindicações da classe esportiva de Brasília. Como afirmamos, nossa proposta é democratizar e facilitar o acesso as mais diversas modalidades esportivas do Distrito Federal. Com a liberação do Autódromo para os ciclistas de velocidade, estaremos fomentando o esporte, além de possibilitar o surgimento de novos talentos da modalidade. Estamos trabalhando em parceria para o benefício de saúde e bem-estar”, avalia a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira de Oliveira.

 

Se antes os ciclistas estavam concentrados, em grande parte, no Parque da Cidade Dona Sarah Kubitscheck e próximo à Vila Planalto, disputando espaço nas vias públicas com os automóveis, agora eles contam com uma área específica para essa finalidade. “O principal é ter mais uma opção de local para realizar treinos de ciclismo em um local que não há trânsito compartilhado, quebra-molas, semáforos. Isso torna o treino mais seguro e eficiente”, diz Felipe Aragão.

 

A Secretaria de Esporte e Lazer espera receber cerca de 50 esportistas no local, que fizeram formalmente a solicitação de reabertura. Um deles foi o ciclista amador Lucio da Silva Rodrigues, que acredita que mesmo com as necessárias adequações, já é uma conquista ter à disposição uma área reservada para a categoria. “Atingimos velocidades muito altas. Fica complicado dividir esse espaço na hora do treino”, avalia o esportista, que calcula uma média de 50 km/h quando faz o circuito.