Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
24/05/24 às 17h03 - Atualizado em 24/05/24 às 18h19

Atletas mirins dos centros olímpicos visitam octógono do Jungle Fight 126

Em manhã inesquecível, os jovens puderam vivenciar de perto um pouco mais da modalidade do MMA, incluindo as técnicas e os princípios da modalidade

 

Atletas mirins dos centros olímpicos de Santa Maria, Recanto das Emas e Riacho Fundo tiveram, nesta sexta-feira (24), a oportunidade única de participar de uma troca de experiências com lutadores de MMA do Jungle Fight, o maior campeonato de artes marciais mistas da América Latina.

 

Nesta sexta (24), 60 atletas mirins dos centros olímpicos de Santa Maria, Recanto das Emas e Riacho Fundo visitaram o octógono do Jungle Fight | Fotos: Lúcio Bernardo Jr./ Agência Brasília

 

Na ocasião, 60 adolescentes com idades entre 14 e 17 anos puderam vivenciar de perto a modalidade e aprender técnicas da luta diretamente com os profissionais. Os alunos selecionados fazem parte das turmas de judô, taekwondo e karatê dos centros olímpicos

 

“Estamos fazendo toda uma movimentação no evento em solidariedade às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Os ingressos serão gratuitos mediante doação de 1 kg de alimento não perecível ou 1 litro de água”

Renato Junqueira, secretário de Esporte e Lazer

 

O secretário de Esporte e Lazer do DF, Renato Junqueira, destaca que a visita busca enriquecer as práticas esportivas dos jovens e ampliar seus horizontes no mundo das artes marciais. “Essa ida dos nossos alunos dos COPs é mais uma clínica, para que eles possam ter contato com a modalidade”, ressalta.

 

“A visita serve também para desmistificar a ideia de muitos, de que o MMA é uma modalidade agressiva, quando, na verdade, é uma categoria repleta de valores, como honestidade, hierarquia e disciplina”, prossegue o titular da pasta.

 

Segundo Junqueira, o viés solidário do Jungle Fight não está restrito à visita dos jovens atletas. “Estamos fazendo toda uma movimentação no evento em solidariedade às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Os ingressos serão gratuitos mediante doação de 1 kg de alimento não perecível ou 1 litro de água”, detalha, acrescentando que a expectativa é de casa cheia para o evento, a ser realizado neste sábado (25), a partir das 19h, na Arena BRB Nilson Nelson.

 

Os adolescentes puderam vivenciar de perto a modalidade e aprender técnicas da luta diretamente com os profissionais de MMA

 

Alimentando sonhos

 

Aos 14 anos, Ruth Vitória é atleta de taekwondo do COP do Recanto das Emas e sonha com a possibilidade de um dia estar dentro de um octógono, como o montado para ser o palco das lutas do Jungle Fight. “Me sinto privilegiada. É um sonho ser lutadora de MMA e essa visita me inspira muito a buscar aprender mais essa modalidade”, diz.

 

A adolescente é aluna do professor Klévisson Mendes. Para o técnico, o contato das crianças com novas lutas é benéfico para o desenvolvimento delas. “É muito importante para conhecerem um pouco mais da área esportiva e também outras modalidades. Muitos iniciam no taekwondo pensando em alcançar grandes coisas, objetivos maiores não somente dentro da modalidade”, defende.

 

O treinador Silvano Miranda ressalta que este foi o primeiro contato de muitos jovens com um octógono profissional. “Eles vivenciaram um pouco do combate real. A gente tenta passar uma base nas aulas, mas, quando vivenciam essa realidade de perto, conseguem ter um domínio do que podem fazer futuramente”.

 

O evento

 

No Jungle Fight 126 serão disputados dois cinturões. Um feminino, na categoria até 57 kg, entre a amazonense Elora Dana e a carioca Brena Cardozo. Já entre os homens, a luta será pelo cinturão interino da categoria 61 kg. Vão subir ao ringue o brasiliense João Pedro Villa e o carioca Ronaldo Freestyle.

 

A estudante Ruth Vitória é atleta de taekwondo do COP do Recanto das Emas e sonha em ser lutadora de MMA: “Essa visita me inspira muito a buscar aprender mais essa modalidade” | Foto: Lúcio Bernardo Jr./ Agência Brasília

 

O torneio é o maior da América Latina e já revelou alguns dos maiores lutadores do MMA no cenário internacional, entre eles José Aldo, Charles do Bronx, Fabricio Werdum, Lyoto Machida e Bethe Correia, entre outros.

 

A entrada é franca mediante a doação de 1 kg de alimento não perecível ou água potável. Todas as doações serão encaminhadas ao Comitê de Emergência Brasília pelo Sul, comandada pela Chefia-Executiva de Políticas Sociais e coordenada pela primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha.

 

Agência Brasília*