Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/04/19 às 15h40 - Atualizado em 12/04/19 às 15h45

Compete Brasília: Atletas participam de competições em João Pessoa, Curitiba, Lima e Paris

COMPARTILHAR

Felipe Uchôa, Andrea Barbosa e Ângela Lavalle

Em João Pessoa, capital da Paraíba, a dupla do vôlei de Praia Ângela Lavalle/Carol Horta disputa, neste fim de semana, a última etapa da temporada 2018/2019 do Circuito Open de Vôlei de Praia.

 

A dupla, que está na sétima colocação no ranking nacional, tem Ângela como representante do DF e é treinada por Felipe Uchôa.  Quando estão na Capital Federal, eles treinam no Parque da Cidade.  “Apesar de não ter praia aqui em Brasília, o Parque da Cidade tem uma das melhores quadras de vôlei de praia do país”, relata a atleta, que viajou na última quarta-feira para a Paraíba.

 

Já na quinta-feira (11), a dupla participou da primeira fase da competição. Ângela e Carol disputaram duas partidas: Na primeira, enfrentaram a dupla Fabrine/Pitye  e venceram por 2 sets a 0. Na segunda partida, foram derrotas por 2 a 0 pela dupla Josi/Neide.

 

Ângela conseguiu as passagens para ela e para o treinador por meio do programa da Secretaria de Esporte e Lazer, o Compete Brasília.

 

“O Compete Brasília é um programa fantástico. Nem todos os estados têm políticas públicas para incentivar os atletas desta maneira. E isso nos ajuda muito, já que a gente sempre está competindo em cidades que ficam no litoral e as passagens são caras.”, comenta Ângela, que nesta sexta-feira (12) se classificou para as quartas de final. Ela e Carol Horta venceram a dupla Josi e Neide por 2 sets a 0.

 

Andréa Barbosa e Rafael Almeida

Quem vai representar o DF no exterior é o fisiculturista Rafael Almeida, ele viajou para Lima, no Peru, para participar do Mister América, evento que reúne os melhores atletas da América do Sul.

 

 “Este vai ser o primeiro campeonato internacional que eu participo e também é a primeira vez que eu viajo para fora do país. E só consegui realizar este sonho por meio do Compete Brasília. Sem esse programa, eu não teria condições de viajar. Estou ansioso e com esperança de terminar o torneio com uma boa colocação”, relata o brasiliense, que conquistou a vaga para o Mister América,após o Campeonato Brasileiro, em que terminou em segundo lugar.

 

Já no boxe, sete atletas do Distrito Federal representam o Brasil, até domingo (14), no tradicional Torneio Internacional Les Ceintures, em Paris, na França, com a participação de 20 países convidados. Conhecida por servir de passaporte para outros campeonatos mundiais, a inciativa reúne pugilistas que estão se destacando pelo mundo. A edição 2019 conta com equipes de Argélia, Albânia, Alemanha, Bélgica, Canadá, França, Gabão, Grécia, Irlanda, Itália, Lituânia, Mônaco, Polônia, Portugal, República Tcheca, Rússia, Suécia, Suíça e Ucrânia.

 

Da Federação de Boxe do Distrito Federal participam Daniel Araújo (60 kg), André Martins (64 kg), João Kaue Campanella (69 kg), João Everton Sousa (75 kg), Diorden Ribeiro (+ 91 kg), Silvana Aguilar (69 kg) e Roberta Melo (75 kg). A presidente da entidade, Patricia Colavati faz parte da comissão, que viajou por meio do programa Compete Brasília.

 

“Se não fosse o Compete, não conseguiríamos fazer nenhuma viagem. Esta é uma iniciativa muito importante”, diz André Martins, que conquistou a medalha de ouro em sua categoria na edição do ano passado.

 

Também tem atletas paralímpicos representando o DF neste fim de semana. Dez halterofilistas viajaram, pelo Compete Brasília, para a Curitiba, no Paraná. Eles disputam a o Circuito Brasil de Atletismo, Halterofilismo e Natação Paralímpico.

 

Equipe de boxe

“Existem quatro competições nacionais ao longo do ano. As três primeiras são classificatórias para a última, que é o Brasileiro final. Para esta última etapa é preciso participar de pelo menos duas etapas e ainda atingir o índice para o Brasileiro. E no caso do masculino, tem que estar entre os oito melhores”, explica o treinador da equipe, Rafael Luna. O objetivo dos atletas é conseguir índices para a última etapa do ano, que será realizada no segundo semestre no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

 

Entre os atletas, alguns novatos, como Jusciléia de Carvalho Silva. “É a primeira vez que vou participar de uma competição. A ansiedade está a mil, coração está acelerado e espero fazer um bom resultado já que estou treinado muito”, relata a atleta, que começou a treinar em agosto do ano passado.

 

Entre os mais experientes, Ana Paula Marques é a terceira atleta do ranking nacional de halterofilismo paralímpico na categoria até 55 kg. “Para mim, esta competição é muito importante porque eu tenho que atingir o índice, assim eu me classifico diretamente para o Campeonato Brasileiro”, comenta a atleta.