Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/07/19 às 17h50 - Atualizado em 7/08/19 às 17h22

Brasília se destaca em Paralimpíadas Universitárias

COMPARTILHAR

Brasília se destacou nas Paralimpíadas Universitárias, que aconteceu de 24 a 26 de julho, no Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo. Com a delegação esportiva do Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), a capital federal conseguiu alcançar a sexta colocação na classificação geral. Os atletas, que viajaram por meio do Compete Brasília, representaram também a Universidade Católica e a Universidade de Brasília (UnB). Ao todo foram 382 esportistas de 21 estados e do Distrito Federal.

 

A equipe da natação voltou da capital paulista cheia de medalhas. Três atletas medalharam. Como Gabriel Koga, que conquistou duas medalhas, uma de ouro no 100m peito e uma de bronze no 100m livre. Giulia Gabriela retornou para Brasília com três medalhas, sendo duas de ouro no 100m costas e 100m livre e uma prata no 100m borboleta.  João Pedro Bispo também conseguiu três medalhas, sendo duas de prata nos 100m livre e 50m livre e uma bronze no 100m borboleta. Já Sarah Isidoro bateu na trave com o quarto lugar nos 100m livre e nos 100m costas.

 

“A competição é de grande importância porque ela dá continuidade na parte escolar. Já que os alunos saem do Ensino Médio em seguida já dão entrada na Universidade, assim eles têm a oportunidade de continuar competindo, inclusive aqueles jovens atletas que ainda não tem índices para participar de campeonatos brasileiros pelo CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro). Esta é uma competição que cria várias oportunidades para eles. Nesta competição, a equipe de natação paralímpica se comportou acima do esperado, melhorando marcas pessoais e conseguiram trazer muitas medalhas para Brasília. E isso foi muito bom”, disse Marcus Lima Espírito Santo, técnico da equipe de natação paralímpica do Instituto Pro Brasil.

 

Outro atleta que viajou por meio do Compete Brasília para as Paralimpíadas Universitárias foi Elismar Vieira, de 23 anos, que conseguiu subir ao pódio nas duas oportunidades em que disputou no atletismo. Pela categoria F37, ele levou duas medalhas de prata nas provas de lançamento de dardo e arremesso de peso. Desde 2017, quando iniciou a fisioterapia no Centro Olímpico e Paralímpico de São Sebastião, o atleta descobriu aptidão na modalidade.

 

Na bocha, Lucas Victorio Ribeiro da Costa, de 20 anos, se sagrou campeão na categoria BC1. Em 2013, ele levou o segundo lugar nas Paralimpíadas Escolares, sendo o primeiro esportista da modalidade a conquistar uma medalha em um torneio nacional, o que possibilitou os atletas de bocha pleitearem o benefício do Bolsa Atleta. Já Milenna Silva de Moraes, de 20 anos, ficou em quarto lugar na categoria BC3. Os dois participam do Futuro Campeão de Bocha, programa desenvolvido no Centro Olímpico e Paralímpico do Setor O.

 

Para o Comitê Paralímpico Brasileira (CPB), esta competição é importante para estimular a participação de estudantes universitários com deficiência física, visual e intelectual em atividades esportivas de todas as Instituições de Ensino Superior (IES) do território nacional, promovendo ampla mobilização em torno do esporte.

Assessoria de Comunicação
Secretaria do Esporte e Lazer do Distrito Federal